Nota de Repúdio

October 25, 2018

 

A Associação da Advocacia Trabalhista do Pará – Subseção de Parauapebas/PA, por seu Presidente, Dr. Rômulo Oliveira da Silva, representando todos os seus associados e seguramente externando o sentimento de toda a advocacia paraense, vem a público manifestar o seu mais profundo repúdio ao abominável e ignominioso ataque sofrido pelo cidadão Edmilson Gomes de Anchieta, morador de rua de 36 anos, ocorrido nesta madrugada de quinta-feira (25/10/2018) enquanto dormia na rua e foi covardemente atacado por marginais ainda não identificados, os quais, sem dar-lhe a mínima chance de defesa, derramaram substancia inflamável, e impiedosamente atearam fogo, provocando queimaduras em praticamente 100% de seu corpo e levando-o em estado grave ao Hospital Geral de Parauapebas/PA, onde permanece internado e com a vida em risco.

 

Há exatos 21 anos, na capital federal, crime semelhante vitimava o índio Pataxó Galdino de Jesus dos Santos, incendiado vivo enquanto dormia, e traumatizava a nação brasileira, tanto pela crueldade como pela prova da autoria de jovens da alta sociedade. Houve, neste triste incidente da história brasileira, uma reação nacional à futilidade e à covardia do crime. Todos ficaram profundamente tristes e indignados e seguiu-se forte reação da sociedade civil e das instituições.

 

Neste rincão do norte do Brasil, neste Pará de recorrentes notícias trágicas, de tantos crimes bárbaros, as instituições e, pior, a própria sociedade, de tão assolada pela violência e pela criminalidade, parecem ter desenvolvido certa resistência à indignação, à pronta reação, de modo que nenhum crime, por mais monstruoso que seja, provoca a reação das pessoas ou das autoridades. Anestesiados, estamos perdendo a própria sensibilidade humana, e muitos já perderam a esperança.

 

Perplexa com este trágico crime, a advocacia trabalhista conclama toda a sociedade paraense, especialmente a do sul do estado, a exigir das autoridades constituídas que sejam tomadas providências enérgicas para identificar e responsabilizar criminalmente os autores de tão horrendo crime. Que este não seja mais um dos crimes sem solução que se avolumam nas prateleiras dos fóruns e das delegacias do Pará.

 

Por fim, verdadeiramente sensibilizada com a dor sofrida pela vítima, a advocacia trabalhista reitera a sua solidariedade e profunda indignação com este horrendo crime, rogando a Deus para que seja restabelecida a saúde deste que sofreu ataque tão desumano.

 

 

Rômulo Oliveira da Silva
Presidente da ATEP/Parauapebas

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes

March 4, 2019

February 8, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags